A morte do tiqui-taca: aposentadorias e 'rock n' roll de Klopp' acabam com estilo de Guardiola

Após marcar uma geração do futebol, o tiqui-taca aproxima-se de seu fim.

O estilo que mostrou ao mundo o melhor Barcelona da história e deu o título da Copa do Mundo à Espanha só existe nos planos de seus mais radicais devotos.

Mas, como conta o jornal Marca, o principal motivo disso é que a "geração de baixinhos" e os jogadores de "primeiro nível" que faziam esse modo de jogo funcionar estão aos poucos se aposentando e seus substitutos estão muito longe de igualar suas qualidades.

"Tivemos alguns anos em que exageramos nosso estilo de jogo, talvez a ponto de sermos um pouco escravos. No futebol, temos que melhorar a cada ano, nos desenvolver, porque no final as pessoas te conhecem", comentou Piqué em uma entrevista.

A era pós-Guardiola para os bávaros e catalães marcaram uma mudança radical. Os números de posse de bola do Barça eram de 73% na última temporada do espanhol, na temporada passada acabou em 57%. Nos alemães, a diminuição foi de 71% para os mesmos 57%.

Pep Guardiola durante partida do Manchester City contra a Atalanta pela Champions League Getty Images

E para os que seguiram o "profeta", o futuro não foi tão promissor quanto o do atual técnico do Manchester City. Bielsa, que também queria jogar no tiqui-taca, disputa hoje a segunda divisão inglesa com o Leeds. Sampaoli está sem clube após deixar o Santos. Ambos já mudaram seus estilos.

"Sim, seguimos a Guardiola por 20 anos falsamente. Pep encontrou a excelência, não é um futebol para todos", reconheceu Massimiliano Allegri, sem clube atualmente após "imitar" o jogo no Campeonato Italiano por alguns anos.

E quem mudou isso?

Simplesmente, o rival e o carrasco de Guardiola.

 

 

 

 

Zidane representa o Real Madrid, eterno rival de Pep por tantos anos no Barça, e conquistou três vezes a Champions League jogando de outra forma.

Jurgen Klopp carrega o nome do Liverpool, carrasco dos catalães na última Champions e rival direto na Premier League atualmente. Rivais, porém com uma distância considerável de 14 pontos dos Reds na liderança para os citizens.

Agora, todos querem jogar como os campeões europeus. Todos querem o "Rock n' Roll de Klopp" no volume máximo para "calar os violinos" que faziam o tiqui-taca acontecer em tom de ópera.

Gostou deste artigo? Mantenha-se informado juntando-se à nossa newsletter!

Comentários

Você precisa estar logado para postar um comentário.

Sobre o Autor