Morre o primeiro médico que alertou para coronavírus na China; hospital nega

O médico chinês Li Wenliang, o primeiro a alertar sobre uma possível doença "semelhante à Sars" em dezembro do ano passado, morreu de coronavírus em Wuhan (China) nesta quinta-feira, de acordo com a rede CNN, citando a mídia oficial chinesa. Porém o hospital onde Wenliang estava sendo tratado negou o óbito.

"Ele está atualmente em estado crítico e estamos fazendo o possível para ressuscitá-lo", disse a direção do centro médico, de acordo com o "Daily Star".

O oftalmologista, que tinha 34 anos, falou sobre uma "doença misteriosa" e escreveu em um grupo de bate-papo on-line: "Em quarentena no departamento de emergência".

"Muito assustador", respondeu um dos integrantes do grupo, antes de perguntar sobre a epidemia que começou na China em 2002 e acabou matando quase centenas de pessoas. "A Sars está voltando?"

Wenliang havia sido hospitalizado em 12 de janeiro. Na última sexta-feira (31/1), o diagnóstico de coronavírus foi confirmado. Ele teria sido  infectado durante consulta. A Organização Mundial da Saúde lamentou a morte do médico.

O coronavírus já infectou mais de 28 mil pessoas, em dezenas de países, e matou mais de 560 - quase todas na China.

Nas primeiras semanas do surto, autoridades silenciaram médicos e outros profissionais por darem sinais de alerta. Eles minimizaram os perigos para a população, deixando os 11 milhões de moradores de Wuhan sem acesso à informação de que deveriam se proteger. Wenliang foi obrigado a se desculpar e a reconhecer que tivera um "comportamento ilegal".

Mas os rumores se espalharam. Pressionada, a Scretaria de Saúde de Wuhan anunciou que 27 pessoas estavam sofrendo de pneumonia de causa desconhecida. O comunicado dizia que não havia necessidade de se alarmar. "A doença é evitável e controlável", afirmou o texto oficial. Semanas depois, o governo comunista mudou o tom e admitiu a gravidade do problema e centenas de mortes decorrentes dele.

Gostou deste artigo? Mantenha-se informado juntando-se à nossa newsletter!

Comentários

Você precisa estar logado para postar um comentário.

Sobre o Autor