Romeu e Julieta Serial Killer: explicamos a reviravolta bizarra de Você

Protagonizada mais uma vez por Penn Badgley, o suspense psicológico continuou a história da primeira temporada de forma inventiva, e sem se prender à repetições ou recriações da original. E uma das maiores surpresas está em seus episódios finais.

Ao longo da nova temporada, Joe se interessa por uma jovem carismática chamada Love (vivida pela excelente Victoria Pedretti, de A Maldição da Residência Hill), e parece que teremos mais uma repetição do que aconteceu com Beck: Joe tenta evitar sua natureza psicótica e o desejo por assassinatos, ao passo em que tenta o amor de Love (vejam só) redimi-lo e torná-lo um homem melhor, um homem bom. Em decorrência de diversos acontecimentos, a verdade sobre a natureza de Joe acaba sendo revelada a Love, mas é aí que vem a surpresa.

 

O Amor cura tudo?

Love não só aceita o passado e os erros de Joe, por amá-lo quase obssessivamente, como também se revela uma assassina. É uma reviravolta que, no papel, soa tola e artificial, mas que acaba sendo relativamente bem construída graças ao roteiro multifacetado. Através de flashbacks, descobrimos que Love ajudou seu irmão ao matar a mulher de seu au pair, com quem tinha uma relação complicada. A família de Love e Forty, os Quinn, acobertou o evento dada sua influência e poder na cidade de Los Angeles – e a mãe de Love até alerta Joe de que todos os seus pecados poderão ser absolvidos, mesmo sem saber que está diante de um serial killer.

A ideia de Love aceitar o lado assassino de Joe foi bem introduzida. E como Você é uma série sobre pessoas quebradas e não necessariamente boas, a forma como Pedretti interpreta o sentimento por Badgley é bem orgânica, e ajuda a ilustrar como a personagem não é 100% sã. De certa forma, ela é o complemento/alma gêmea de Joe, e o fato de “o amor curar qualquer ferida” é quase irônico aqui, considerando que a personagem literalmente se chama Love.

O Futuro

E agora, como fica a história daqui para frente com esse Romeu e Julieta Serial Killer? Tudo parece ter funcionado bem para Joe no desfecho da segunda temporada, já que todos aqueles que queriam pegar Joe (Candence, Forty) são mortos, a pequena Ellie recomeça sua vida em outro estado e a pista sobre os assassinatos esfria. Joe agora está morando com Love, que está grávida de seu filho. Parece um final com lacinho no topo, mas Joe rapidamente se interessa pela misteriosa vizinha do novo lar.

É algo que Greg Berlanti e Sera Gamble fazem com inteligência nesses segundos finais. Por mais que o espectador inevitavelmente torça e se afeiçoe por Joe, que realmente acredite em seu desejo de mudar, parece que sua natureza sempre será a de um assassino obsessivo. Uma terceira temporada certamente poderia se aproveitar dessa premissa, onde Joe agora é um homem de família, mas lutando contra seus impulsos de se aproximar de sua tentadora nova vizinha.

Isso porque ainda temos Love na jogada. Sabemos que ela é capaz de matar pelo que ama, e não é difícil de imaginar uma terceira temporada que funciona com um jogo de gato e rato. Se Joe realmente se envolver com a vizinha, teremos um literal Hannibal onde uma psicopata caça outro.

 

Gostou deste artigo? Mantenha-se informado juntando-se à nossa newsletter!

Comentários

Você precisa estar logado para postar um comentário.

Sobre o Autor